Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Livro do Deuteronômio

Pe EdvanDeuteronômio é o quinto livro da Bíblia, vem depois do livro dos Números e antes do livro de Josué. Faz parte do Pentateuco, os cinco primeiros livros bíblicos, cuja autoria é, tradicionalmente, atribuída a Moisés. É um dos livros do Antigo Testamento da Bíblia e possui 34 capítulos.

Contém os discursos d Moisés ao povo, no deserto, durante seu êxodo do Egito à Terra Prometida por Deus. O nome é de origem grega e quer dizer segunda lei ou repetição da lei (Dt 17,18).

Os discursos contidos nesse livro, em geral, reforçam a ideia de que servir a Deus não é apenas seguir sua lei. Moisés enfatiza a obediência em consequência do amor: “Amarás a Javé teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e com todo o teu entendimento”. Também é enfatizado o “caminho da bênção e da maldição”, no qual Deus previne o povo a seguir seus mandamentos, pelos quais o povo ou seria abençoado, ou receberia maldições (porém, caso se arrependesse e voltasse a seguir de coração a Deus, Ele se arrependeria e perdoaria o povo, ou então exigiria um sacrifício de sangue, em geral a morte de quem “pecou” contra Ele ou Israel, e em seguida, após tal sacrifício, o restante do povo seria perdoado. Conforme várias passagens da “ira de Deus” contra os “rebeldes” demonstradas no Levitico, Êxodo e Números).

O tema do Livro
O tema do Deuteronômio é a Fidelidade de Deus e a Obediência do homem. Leia os versículos seguintes: 5,29; 6,4-5; 10,12; 11,26-28 e 28,1. Estes versículos falam da mesma coisa; Deus é fiel e o povo dele deve dar uma obediência a ele em tudo. “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com toda a tua força” (Dt 6,04-5).

Esboço do Livro.
Olhar Para Atrás. 1-11. A primeira divisão foi dada para o povo de Deus lembrar o passado, pensar bem, decidir e determinar servir o Senhor. II. Olhar Para Frente. 12-34. A segunda divisão foi dada para o povo de Deus olhar para o futuro com dedicação, esperança, antecipação e cuidado.

Algumas Observações sobre o Livro.
Como Gênesis é a introdução do Pentateuco, Deuteronômio é a conclusão do Pentateuco. Neste livro as palavras “O Senhor Deus” são faladas algumas 300 vezes, e no resto do Pentateuco todo só 50 vezes. Jesus Cristo citou este livro quando foi tentado pelo diabo: Dt 6,13; 6,16, 10,20 em Mt 4,1-11 e Lc 4,1-13. Também o citou em Mt 22,37 (Dt 6,4-5). O Apóstolo Paulo citou este livro nos seus escritos também: Rm 10,6-9 (Dt 20,12-14), Gl 2,10 (Dt 21,23, 27,26). No Novo Testamento este livro é citado algumas 50 vezes.

A primeira Divisão do Livro (Dt 1-11).
A primeira divisão é dividida em nove divisões. I. O Local do Livro. 1,1-5. II. Horeb e Cades-Barnéia. 1,6-19. III. Os Eventos na Cades-Barnéia. 1,20-46. IV. As Viagens do Deserto. 2,1-23. V. A Conquista da Terra da Banda Leste do Jordão. 2,24-3,22. VI. O Destino de Moisés. 3,23-29. VII. O Aviso Conveniente. 4,1-40. VIII. As Cidades de Refúgio. 4,41-49. IX. A Nova Geração Ensinada os Mandamentos e Preceitos Divinos. 5,1-11,32.

O Local do Livro (Dt 1, 1-5).
Israel estava nesta banda do rio Jordão quando Moisés deu estes conselhos ao povo de Deus. Esta foi a banda que fica ao leste do rio Jordão. Israel estava na planície de Moab.

Horeb e Cades-Bernéia (Dt 1, 6-19).
Moisés começou os seus conselhos dizendo que o povo de Deus tinha que deixar a observação ritual da lei no deserto para começar a sua viagem espiritual para uma terra melhor.

Os Eventos na Cades-Barnéia (Dt 1, 20-46).
Aprendemos por este livro que foi o povo que sugeriu mandar os espiões na primeira vez para ver a terra de Canaã (v. 22-25). Mas, o povo não quis conquistar esta terra e murmurou contra Deus e recusou entrar por causa da sua incredulidade (v. 26-28). Também aprendemos outra coisa não falada antes em Números, as palavras de encorajamento que Moisés deu (v. 29-31) ao povo para entrar e conquistar a terra. Depois o povo chorou por causa da sua derrota, mas o Senhor não ouviu a sua voz, porque não era arrependimento verdadeiro (v. 45). Por isto esta geração toda morreu no deserto (v. 46).

As Viagens do Deserto (2,1-23).
Os muitos dias que esta geração rodeou no deserto foram 38 anos (2,1). Observe que o tempo que este povo gastou no deserto é falado no v. 14. Mais uma vez podemos ver que o tempo gastado no deserto por esta geração foi considerada perdida, porque Moisés passou por cima dos eventos deste tempo.

A Conquista da Terra desta Banda Leste do Jordão (2,24-3,22).
Moisés falou sobre a conquista da terra desta banda do Jordão por esta geração nova que estava lá para entrá-la novamente depois com Josué. Moisés falou isto para mostrar que o Senhor tinha dado a vitória sobre este povo e por isso foi um encorajamento para continuar na conquista que o Senhor prometeu. Note o tamanho da cama de ferro de Og o gigante, o rei de Basã, que Israel conquistou pelo poder de Deus no v. 3,11. A sua cama de ferro era 4.15 metros de cumprimento e 1.85 metros de largura. Ele era gigante mesmo, mas perante Deus era pequeno demais. Deus pode nos dar a vitória sobre os inimigos grandes.

O Destino de Moisés (3,23-29).
Moisés falou sobre o seu grande erro que não o deixou entrar na terra prometida. Moisés disse que pediu o Senhor para deixá-lo entrar na terra prometida, mas o Senhor disse a ele: “Basta; não me fales mais deste assunto”. Isto serviu ao povo de Deus como um aviso contra desobedecer ao Senhor e para nós também. Veja que o Senhor corrigiu Moisés seu filho, mas também mostrou a sua compaixão quando deixou Moisés subir lá em cima do monte Fasga para ver a terra prometida de longe (v. 27).

O Aviso Conveniente (4,1-40).
Nesta passagem Moisés ensinou esta geração nova algumas coisas importantes para o seu futuro. Ouvir os estatutos e os juízos do Senhor para que pudessem entrar na terra de Canaã, v. 1. Não era para acrescentar nem diminuir a Palavra de Deus, mas somente obedecer como ele tinha dado v. 2. Deus deu aviso contra idolatria, v. 23. O mesmo Deus que abençoou este povo podia também dar uma correção severa. Não foi isto que aconteceu no deserto com a primeira geração? Leia v. 24. Veja o aviso que deu para este povo de Israel no v. 25-27. Foi isto mesmo que aconteceu depois quando Judá e Israel deixaram o Senhor para adorar deuses falsos e foram levados cativos para outras terras estranhas como Deus tinha avisado. Cuidado irmãos para obedecer ao Senhor, porque o mesmo Deus que pode nos abençoar, pode nos corrigir também, v. 39-40.

As Cidades de Refúgio (4,41-49).
De novo Moisés deu as cidades de refúgio. Três cidades à banda leste do rio Jordão, e três cidades à banda oeste do rio Jordão. O total de seis cidades. Este foi o fim da primeira pregação.

A Nova Geração Ensinada os Mandamentos e Preceitos Divinos (5,1-11,32).
A segunda pregação começada. 5,1-5. Moisés chamou todo o Israel para a segunda pregação. Veja o que Moisés mandou o povo fazer: ouvir, aprender, guardar e cumprir, v.1. O conselho certo para o povo de

Deus em todo tempo.
Os dez mandamentos dados novamente. 5,6-33. É quase igual com Êx 20. Veja uma diferença no v. 15; o mandamento do sábado ficou ligado com a liberdade da escravidão do Egito.
O cumprimento da leia dada por Deus. 6,1-25. O propósito da lei dada por Deus era para o povo de Deus fazer, guardar e cumprir com fidelidade e cuidado. Ainda os crentes devem pensar nisto muito bem.
A vida nova na terra prometida. 7,1-8,20. Foi à vontade de Deus para o povo de ele conquistar os inimigos da terra prometida totalmente. Não foi para fazer aliança com eles, nem deixar na terra, porque tinha o perigo de desviar o povo de Deus das coisas de Deus, v. 1-4. Ainda é a verdade, devemos tirar tudo da nossa vida que não agrada o Senhor, porque pode nos desviar das coisas de Deus. Nota porque o Senhor escolheu Israel e não outra nação, v. 7-8. Mostra a eleição da graça de Deus para com os seus eleitos. Note a razão porque Deus deixou o povo no deserto durante 40 anos, v. 8,1-3. Para que? Para que o povo pudesse ser humilhado e provado para ver se guardasse os seus mandamentos. Deus deu a promessa de bênção se seguisse os seus mandamentos, v. 8,4-18. Também deu o aviso de correção se deixasse os seus mandamentos, v. 8,19-20. Irmãos, estamos ouvindo?

Avisos e exortações (9,1-11,9).
Moisés disse ao povo que Deus ia dar Canaã a eles não por causa da sua fidelidade passada, era povo obstinado, v. 9,6, mas por causa da sua fidelidade, v. 9,4-7. Depois Moisés deu uma revisão da história dos judeus da sua falha em não entrar na terra prometida a primeira vez até o presente, v. 9,8-10,11. Depois Moisés disse a eles que o Senhor tinha pedido deles. O que foi? A mesma coisa que pede de nós agora, v. 10,12-13.

A conclusão (11,10-32).
A promessa de bênção para uma nação obediente, e uma maldição para a nação desobediente, v. 11,10-32. Veja bem os v. 26-28.

A Segunda Divisão do Livro – Deuteronômio (12-34).

Olhar Para Frente
A segunda divisão é dividida em seis divisões. I. As Leis de Adorar Deus. 12-13. II. As Leis de Separação. 14-16. III. As Leis Civis e os Líderes Religiosos. 17-18. IV. As Leis de Guerra e de Matar. 19,1-21,9. V. As Leis Domésticas e Variadas. 21,10-30,20. VI. Os Últimos Conselhos de Moisés. 31-34.

1. As Leis de Adorar Deus (12-13).
Deus mandou Israel destruir toda idolatria da terra de Canaã. Por quê? Porque deixar idolatria no seu meio seria uma tentação e sedução contínua para aceitar e praticar. Deus designou o tabernáculo como o único lugar de adorar o Senhor e oferecer os sacrifícios. Moisés deu três coisas que pode seduzir o povo de Deus para desviar das coisas de Deus. Falsos profetas, 13,1-5; Família, 13,6-11; e Vizinhos, 13,12-18.

2. As Leis de Separação (14-16).
Deus queria para o seu povo ser diferente do que os pagãos ao seu redor. Note como Deus designou para manter esta acontecer.

1. Comida. 14,1-21. Mostra que devemos ser separados de tudo que é imundo.
2. Dízimo. 14,22-29. Mostrar a nossa gratidão pela bênção do Senhor. O mundo não faz isto, é ingrato.
3. Ano sabático. 15,1-15. Honrar o Senhor com nosso tempo.
4. Servo Voluntário. 15,16-23. Este servo (escravo) se deu para ser o servo ao seu mestre voluntariamente por amor. O crente deve se entregar ao Salvador voluntariamente por amor porque ele nos livrou da nossa escravidão do pecado.
5. Festas Religiosas. 16,1-18. Manter a religião pura e segundo a sua vontade.

3. As Leis Civis e os Líderes Religiosos (16,18-18,22).
Deus deu juízes para julgar os problemas e os negócios do povo. Era uma maneira de garantir justiça e evitar confusão. Deus mandou apedrejar os idólatras e proibiu um bosque de árvores junto ao altar do Senhor, 16,21. Porque esta prática fez parte da adoração de Asterote e era uma imoralidade terrível. Veja as regras acerca dos reis futuros, 17,14-20, especialmente sobre os cavalos, mulheres e riqueza, 17,16-17. Foi exatamente que Salomão fez e por isso caiu. Capítulo 18 dá o sustento dos Levitas. O Apóstolo Paulo aplicou esta verdade para o sustento dos pastores em I Cor. 9. Também dá a profecia do Grande Profeta (v. 18) Jesus Cristo. Também Deus deu a maneira de provar os profetas, 18,20-22.

4. As Leis de Guerra e de Matar (19,1-21,9).
Deus deu proteção para o homem que cometeu homicídio não premeditado (acidental); proteção contra o vingador de sangue numa cidade de refúgio, 19,1-13. A lei contra mudar os limites da herança dos outros, 19,14. Podemos aplicar esta lei da herança para a herança espiritual que temos em Jesus Cristo. Ainda é proibido mudar os limites da nossa herança espiritual de verdade e doutrina. A lei da necessidade de duas testemunhas para condenar o homem acusado de uma ofensa e a responsabilidade do juiz para investigar tudo para achar a verdade, 19,15-21. As leis de guerra, 20,1-20. A lei da investigação dos mortos achados no campo, 21,1-9.

5. As Leis Domésticas e Variadas (21,10-30,20).
Leis dadas por Deus para governar o seu povo. Leia para ver.

6. Os Últimos Conselhos de Moisés (31-34).
No capítulo 31 Moisés deu conselhos para os sacerdotes, os levitas e Josué o novo líder. No capítulo 32 tem o último cântico de Moisés. No capítulo 33 Moisés deu a bênção às doze tribos. Capítulo 34 fala dos últimos dias e morte de Moisés. Moisés subiu ao monte de Nebo, ao cume de Fasga para olhar de longe a terra prometida e lá morreu e foi sepultado pelo Senhor e ninguém soube o lugar da sua sepultura.